Siga-nos

Dieta detox ayurvédica (anti-ama)

Por Marise Berg

Ayurveda é sinônimo de Medicina Tradicional Indiana. Esse sistema de saúde preconiza que a boa digestão é um dos principais pilares da saúde, portanto, quando o sistema digestivo não funciona na sua potência ideal ou quando a matéria-prima não é adequada à nossa fisiologia e às necessidades nutricionais individuais, as células não recebem matéria-prima adequadamente, o organismo perde vigor e formam-se bio-toxinas, conhecidas atualmente como radicais livres. Por exemplo, o conservante nitrito utilizado para a conservação de carnes, ao ser ingerido se complexa com aminas formando as nitrosaminas, substâncias com alto potencial carcinogênico. Outro exemplo é o aspartame, um adoçante derivado de proteínas que tem o potencial de desencadear enxaquecas. Além da dieta inadequada, também estamos expostos a outras fontes de contaminantes como a poluição do ar, medicamentos, drogas, cosméticos, corantes, conservantes, agrotóxicos, metais pesados, excesso de gorduras trans e sódio, etc, além de álcool, tabaco e o estresse da vida moderna.

Em Saúde, a prevenção é o melhor remédio. Mas, como não é possível “blindar” o organismo do contato com substâncias tóxicas, a dieta anti-ama se apresenta como uma abordagem terapêutica natural não medicamentosa para eliminar toxinas e os seus efeitos nocivos, considerado o primeiro passo para restaurar o equilíbrio do organismo e os mecanismos internos de auto-cura. De forma geral, o Detox é recomendado para a prevenção e tratamento de desequilíbrios de saúde em fase subclínica (assintomáticos ou com sintomas inespecíficos) ou no estágio precoce das patologias, e também para promover o rejuvenescimento.

São considerados sintomas de intoxicação:
•    Indigestão, inapetência (falta de fome e apetite), alterações no paladar
•    Sensação de peso, fadiga, letargia e cansaço após as refeições
•    Cansaço excessivo sem causa aparente
•    Eructação e flatulência (gases) excessivos
•    Mau hálito ou odor corporal desagradável, suor excessivo
•    Constipação ou irregularidade nas excreções, alteração na consistência das fezes que se torna pesada, pegajosa e/ou com presença de alimentos
•    Cobertura esbranquiçada ou amarelada na língua
•    Febre
•    Presença de muco excessivo
•    Ressecamento da pele
•    Letargia, lentidão, apego, mágoa, preguiça. Sonolência em excesso, dificuldade de acordar pela manhã
•    Inchaço e edema (retenção de líquidos)
•    Aumento da suscetibilidade às doenças infecciosas
•    Dor de cabeça
•    Dores musculares

Todas as substâncias podem ser tóxicas dependendo da sua concentração. Um apropriado programa de desintoxicação enfoca no decréscimo dos níveis de exposição às toxinas, enquanto oferece ao organismo um apropriado suporte nutricional pois parte da eliminação de toxinas se dá por meio de mecanismos dependentes de enzimas e cofatores como vitaminas, minerais e fitoquímicos presentes nos alimentos, além da hidratação adequada.

Dessa forma, recomenda-se a dieta anti-ama de forma regular e preventiva. Após o período da dieta, o tratamento tem continuidade por meio de terapias corporais como massagem e sauna, meditação, Yoga e exercícios respiratórios, e se completa com um plano nutricional revigorante.

Além do enfoque na qualidade dos alimentos, a dieta anti-ama contempla muitos aspectos positivos, dentre eles, a sugestão de hábitos saudáveis como mastigar corretamente os alimentos, fazer a leitura dos rótulos de produtos industrializados, consumir as refeições em horários regulares, a prática de atividade física, e o aprendizado de técnicas básicas de culinária saudável. O equilíbrio emocional é estimulado, além do incentivo às práticas de relaxamento e meditação, massagens, sauna e terapias corporais, coadjuvantes importantes no controle do estresse.

Frequentemente os adeptos do Detox percebem benefícios, embora, tecnicamente nenhum deles comprove que a dieta potencializou o funcionamento dos órgãos como o fígado e rins fazendo com que eles funcionassem acima da sua capacidade normal. Destacam-se a perda de peso, a melhora da energia e disposição, a aquisição de hábitos saudáveis e a liberação dos condicionamentos nocivos, a melhora da qualidade do sono, alívio dos sintomas da TPM, celulites, diminui o inchaço, melhora o humor, a memória, o raciocínio e a disposição.

A dieta anti-ama deve ser leve, de fácil digestão, variada, colorida e energizante, rica em alimentos frescos e reguladores como frutas e verduras, além de feijões, cereais e especiarias.

O cardápio é livre de laticínios, alimentos processados, carnes, fungos (shitaki, shimeji); chocolate, achocolatados, sorvete, tortas e bolos; fritura, vinagre, adoçantes sintéticos, condimentos artificiais, molhos cremosos; café (permitido até 1 dose), refrigerantes, bebidas gasosas ou geladas; alimentos artificiais, junk e fast food, enlatados, refinados, embutidos, congelados, transgênicos, irradiados ou cozidos em microondas, excessivamente cozidos, velhos, envelhecidos ou recozidos.

Um profissional de saúde deve ser consultado para elaborar a dieta personalizada, observando as características biopsicosociais (doshas) do paciente.

A dieta anti-ama é segura para pessoas saudáveis que desejam se desintoxicar e ganhar energia. Por ser uma dieta vegana, que exclui temporariamente leite e laticínios, é restrita em cálcio, o que inspira alguns cuidados, além de algumas contraindicações. Mulheres em amenorréia ou na menopausa ou grávidas ou lactantes, pessoas diagnosticadas com deficiência de cálcio (osteopatias), com anorexia nervosa, crianças, adolescentes, idosos, pessoas com hemorragia, hemofílicos e com distúrbios de hemostasia, hipertensos e portadoras de doenças cardiovasculares não devem se submeter à dieta sem acompanhamento de um médico com especialização em Ayurveda.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), por meio do documento "Estratégia da OMS sobre Medicina Tradicional 2002-2005", reconhece o Ayurveda como um sistema como uma eficaz medicina tradicional e não apenas um modismo. Os princípios nutricionais ayurvédicos são praticados com êxito há muitas gerações, não se tratado de uma novidade passível de alterações a cada nova descoberta científica. Preconiza-se o consumo de uma dieta variada, colorida, baseada em alimentos naturais e frescos, ambientalmente sustentáveis, com moderação e reverência, atributos dietéticos preconizados atualmente pela OMS.

Referências
Ayurveda. Citara Saúde. Disponível em: http://www.citarasaude.com.br/blog/ayurveda-2/. Acesso em: 15 Jan. 2013.
SIZER, Frances; WHITNEY, Eleonor. Nutrição, conceitos e controvérsias. 8.ed. Barueri, SP: Manole, 2003. 567p.
SILVA, Sandra Maria Chemin S.; MURA, Joana D´Arc Pereira.  Tratado de Alimentação, Nutrição e Dietoterapia. São Paulo: Roca, 2007. 1122 p.
OLIVEIRA, Monique Cristine SCHOFFEN, João Paulo Ferreira. Oxidative Stress Action in Cellular Aging. Braz. Arch. Biol. Technol. v.53 n. 6: pp. 1333-1342. 2010.
OLIVEIRA, Monique Cristine SCHOFFEN, João Paulo Ferreira. Oxidative Stress Action in Cellular Aging. Braz. Arch. Biol. Technol. v.53 n. 6: pp. 1333-1342. 2010.

Marise Berg
Nutricionista com especialização em Ayurveda e idealizadora do Prãna Spa. Formada pela Escola Yoga Brahma Vidyalaya com extensão em Rasayana (rejuvenescimento) e Nutrição Ayurvedica pela Kerala Ayurvedic Chikitsalayam e International Academy of Ayurveda - Pune; e Vishwanath Panchakarma Centre – Rishikesh, Índia.
Graduada em Nutrição pelo Centro Universitário São Camilo, São Paulo.
Recebeu a iniciação budista dos Cinco Treinamentos da Consciência pelo Monge Thich Nhat Hanh, em 2009.

© 2017 ABRA - Associação Brasileira de Ayurveda

Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Finepixel Labs