PITTA E A MULHER MODERNA

Por Valquiria Zago Matheus – 15/03/2016

  A mulher da
atualidade é multifuncional: dona de casa, esposa, mãe, filha, profissional que
precisa de constante atualização para não ser engolida pelo mercado … Ainda
há a concorrência com o tempo, esse implacável que faz com que se acumulem
gorduras onde antes não havia, além da luta por um estereótipo de beleza,
inatingível mesmo para muitas adolescentes. Precisa ser
“perfeita”, não há espaço para erros, mesmo porque senão “a casa cai”,
literalmente! Para atingir
essas atividades ideais nosso organismo dispõe de mecanismos adaptativos que, de acordo com
a necessidade, vão moldando nossas funções permitindo que o organismo trabalhe
com eficiência máxima. Ok, mas por quanto tempo e a que custo?
   Constituído
pelos elementos Fogo e Água, aquele que rege nosso metabolismo é Pitta, ou
seja, a capacidade de transformar os alimentos ingeridos em energia e tecidos
corporais, os dhatus. Agni ou fogo digestivo tem qualidades
similares a Pitta. Pitta é quente (para cozer os alimentos), é
penetrante, agudo, com pouca umidade (a qual permite o controle de seu elemento
fogo), sutil, picante e ácido. Está situado
na parte intermédia do tronco, entre o coração e o umbigo, incluindo o abdômen
e os órgãos digestivos, mais especificamente no intestino delgado. Além do suco
gástrico, está presente também na linfa, nos olhos, na pele e no suor.
   Mentalmente,
Pitta quando em equilíbrio manifesta-se por boa capacidade de concentração e discernimento.
Organizado e com espírito de liderança, comunica-se com clareza e defende
firmemente sua opinião. Ambicioso, tem gosto pelos desafios, com grande
potencial de sucesso no campo profissional.
   Como elemento
fogo, tem seu pico de ocorrência na parte intermédia do dia (hora em que o Sol
encontra-se mais forte) entre 10 e 14 horas – de maior poder digestivo – e
também no meio da noite, entre 22 e 2 horas. É o dosha
predominante também na fase intermédia da vida, entre os 20 e 60 anos, período
de maior produtividade e capacidade reprodutiva. Quanto à
época do ano acumula-se no verão e tem agravamento nos períodos de chuva (entre
fevereiro e abril – no hemisfério sul).
 Especificamente
para as mulheres, corresponde à fase secretora do ciclo menstrual, iniciando
seu acúmulo no período periovulatório (Pittachaya),
agravando no período que antecede a
menstruação
(Pittaprakopa),
retornando ao normal com o período menstrual (Pittashama). Nas fases da vida Pittachaya
inicia-se após a puberdade (16 a
32 anos) e agrava-se na fase tardia da vida fértil (entre 32 e 50 anos –
coincidente com o período de climatério).
 Pitta pode
tornar-se agravado em diversas situações como:
   – Raiva,
cólera, sofrimento profundo e perdas.
   – Após esforços
excessivos, mesmo durante atividade sexual.
   – Climas
quentes, exposição excessiva ao calor e ao sol.
   – A ingestão
dos sabores picante, salgado e ácido ou azedo, preferidas por Pitta também leva
a agravação, enquanto os alimentos de sabor doce, amargo e adstringente (pH
básico) levam a sua atenuação.
   – O jejum prolongado e alimentos com digestão
difícil que produzam ácidos no estômago (indigestão) também irão causar
agravamento. Uso de carnes, em especial as vermelhas, frutas ácidas e bebidas
alcoólicas. – Uso de substâncias
de potência quente, tanto medicamentos como alimentares, como exemplos o alho e
cravo, óleos de gergelim e mostarda.
   – Os períodos
do meio dia e meia noite. Durante a digestão dos alimentos. Verão e épocas
chuvosas. As fases de climatério e pré menstrual nas mulheres são os períodos
mais susceptíveis ao agravamento.
 Em sua fase
inicial os sintomas de agravação podem ser inespecíficos, como: hiperacidez
gástrica, indigestão com fermentação e formação de gases fétidos, digestão
excessivamente rápida com excesso de fome, fezes com expulsão rápida e sensação
de queimação. Gosto ácido e amargo na boca. Sensação de
ardor ou queimação em várias partes do corpo (como pele, olhos e uretra),
intolerância ao calor ou mesmo ondas de calor com sudorese profusa, desejo por
coisas frias.
Na progressão
pode manifestar-se com pruridos e coceira, manchas vermelhas, coloração
amarelada ou avermelhada na pele. Alterações de pele como eczemas, psoríase,
rosácea, dermatites ou mesmo acne. Queda de
cabelo e cabelos grisalhos precoces.
Aumento da
pressão arterial e hemorragias. Anemia e doenças cardíacas também são comuns.
Redução da
acuidade visual, alterações hepáticas com sinais de hepatite e icterícia.
Infecções
diversas podem ocorrer, mais comumente nos olhos, trato urinário e corrimentos
vaginais.
 No caso da presença
de AMA (toxinas), Pitta pode manifestar coloração amarelada da pele, presença
de secreções amareladas em diversas partes do corpo como olhos, nariz, faringe (língua) e laringe, com tosse
produtiva. Formação de secreções com odor desagradável, fétidas e com pus,
umidade e exsudação, putrefação e gangrenas, secreções com cor amarelada, avermelhada ou esverdeada.
 Mentalmente
Pitta em desequilíbrio manifesta-se por intolerância e necessidade de controle.
A impaciência e a exigência, aliadas a um senso de organização que beira o
perfeccionismo, gera tendência a desenvolvimento de T.O.C. (Transtorno obsessivo
compulsivo). Irritáveis e explosivas quando em desequilíbrio, podem
apresentar-se excessivamente ríspidas, críticas ou sarcásticas, podendo haver
crises de hostilidade e fúria. Reações como raiva, ira, cólera, agitação psíquica
e motora são comuns.
De outro
modo, Pitta diminuído causa: frieza, redução da capacidade digestiva, palidez,
tremores e brancura na compleição.
Para
equilibrar Pitta agravado recomenda-se observar uma dieta adequada:
   – dar preferência à alimentos de sabores doce, amargo e adstringente. Alimentos frios e
refrescantes como leite, ghee, óleo de coco, sucos de romã, maçã e uva. Leites
vegetais, água de coco, chás de sabor amargo. Uso de ervas frescas, como salsa,
coentro, hortelã, anis, gengibre fresco, erva doce e funcho.  Preferir carnes brancas, principalmente
peixes, em moderada quantidade e evitando-as nos casos da presença de AMA.
    – evitar alimentos de sabores ácido, picantes e salgados. Evitar as substâncias quentes
como exemplo: alho, cravo e mel. Evitar ácidos como vinagre e conservas a base
de ácido acético (alimentos japoneses), picles. Laticínios ácidos e salgados,
carnes vermelhas e frutos do mar, as frutas ácidas e sucos de tomate, abacaxi,
banana, frutas vermelhas ácidas, kiwi, mamão, cenoura, beterraba, laranja
(exceto lima), tamarindo. Uso de grãos quentes como amendoim. Bebidas
alcoólicas, em especial destilados e vinho. Evitar ainda alimentos
industrializados ou ricos em produtos químicos e aditivos artificiais.
 Outras observações são: não exceder-se na comida e nem falar muito durante a refeição; prestar atenção aos alimentos
ingeridos, com mastigação adequada, transformando na boca o alimento em uma
pasta untuosa (pastosa e úmida), sem deglutir com muita rapidez; é descrito como incompatível a
mistura de frutas ou seus sucos com leite, especialmente as ácidas, e a mistura
de peixes com leite; não aquecer
o mel, nem misturá-lo a alimentos muito quentes. Por fim, não comer
com raiva, pressa ou febre, nem em ambientes agitados ou barulhentos.
 Atividade
física moderada, de preferência na água, que modera o calor de Pitta, evitar
atividades extenuantes ou que gerem muito calor.
 A meditação é
muito benéfica para seu equilíbrio, especialmente com concentração em temas
referentes aos conceitos de gratidão, aceitação e tolerância, incluindo sua
própria pessoa. Desapego da necessidade e da “ilusão de controle” sobre as
pessoas e situações.
Uso de
perfumes de fragrância fresca e agradável, suaves, é benéfico, assim como a permanência
em locais banhados pela luz da Lua; desfrutar de
brisas levemente frias; usar roupas
leves que facilitem a transpiração, como algodão, não sintéticas, nas cores
frias: branco, azul ou verde. Uso de adornos como flores frescas, prata e pérolas. 
Para os casos
agravados e complicados, além dos itens anteriores podemos recorrer ao uso de
fitoterapia com ervas de potência fria; uso de Abhyanga (massagem ayurvedica)
com oleação por substâncias de potência fria como óleo de coco, girassol ou
ghee. Udwartana (massagem com pós) tem uso muito
restrito devido a sensibilidade da pele de Pitta, assim como o uso de Swedana que em casos selecionados, deve ser feito sem aplicação de calor direto ou por períodos muito breves, pois facilmente é causador de iatrogenia.
 Já as
terapias desintoxicantes como Virechana podem ser utilizadas, desde que com
orientação e supervisão adequadas.  Nasya
deve ser utilizado com muito cuidado, sempre com substâncias frias como
preparações a base de leite ou ghee. O uso de Raktamoksha (retirada de sangue)
tem seu uso proibido no Brasil, porém a doação sanguínea é bem regulamentada e realizada,
desde que observadas suas limitações, constituindo boa opção, pois Rakta dhatu (componente vermelho do
sangue) possui qualidades semelhantes às de Pitta o qual exerce através dele
sua ação.
Resumindo, o
Aurveda é isso: a Arte de utilizar os recursos disponíveis com o objetivo de
manter e recuperar a saúde de todos os serem viventes, incluindo nós, mulheres.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *